De menina à mulher, o dia que mudou a vida de uma adolescente acolhida.

 em Espírito Santo

Qual adolescente nunca sonhou com a sua festa de 15 anos? Os funcionários da ADRA que atuam na Casa de Acolhimento Provisório, “Abrindo Caminhos”, do município de Cariacica, decidiram proporcionar este dia dos sonhos para a jovem Sthela Lopes Custódio. A qual avançaria um estágio de sua vida, que a transformaria de uma adolescente à mulher.

A ansiedade tomou conta do coração desta menina na noite do dia 12 de novembro ao perceber que o seu dia especial havia chegado. A festa que lhe foi organizada possuía a mesma grandeza que tinha em seus sonhos, onde todos os colaboradores e parceiros não mediram esforços para torná-lo realidade.

“A festa foi preparada com todo amor e carinho por todos os voluntários e ajuda dos funcionários. Não existem palavras que possam descrever o sorriso de Sthela ao se olhar no espelho com o tão sonhado vestido, e chegar ao cerimonial ver todos que a amam. Foi uma noite incrível e inesquecível”, relata com orgulho, a coordenadora local, Cristiane Boasquives.

Debutante Sthela e equipe técnica do Acolhimento Infantil.

Sthela comemorou este dia no Cerimonial Cabana Acústica, cujo local foi cedido pelos proprietários para que pudesse de alguma forma proporcionar um dia feliz para esta adolescente. Para tornar este dia mais especial, a Casa contou com a ajuda de parceiros, como a dona da loja de vestidos Bella Noivas, que ofereceu a vestimenta adequada para que este dia se tornasse ainda mais inesquecível. Houve também ajuda de uma profissional que fez a maquiagem e penteado de Sthela. Pensando além, a equipe se mobilizou para proporcionar um aniversário completo para esta jovem, e conseguiram voluntários de DJ e recreação, maquete de bolo, personalizados, decoração, kit festa, mesas e fotografia.

“Foi um dia muito especial pra mim que ficou marcado para vida toda, porque eu sempre sonhei ter um aniversário de 15 anos. Foi um dos meus sonhos que eu queria realizar e conseguiram. Sou muito grata por isso”, comemorou a adolescente.

Acolhida há sete anos, Sthela contou com a presença de aproximadamente 150 pessoas, e também dos seus amigos da Casa de Acolhimento, a qual que recebe crianças e adolescentes com idades de 0 a 18 anos incompletos, vítimas de abandono, violências e maus tratos, encaminhadas pelo Poder Judiciário e/ou Conselho Tutelar, em caráter provisório, até que seja viabilizado o retorno do acolhido ao seio familiar de origem ou, na sua impossibilidade, encaminhado à família substitutiva.

Claudia Brandão se diz feliz e honrada em contribuir para a realização do sonho de Sthela. “É um prazer estar fazendo parte da vida dela, nesta realização de sonho em sua vida. Sempre foi uma menina muito dedicada e atenciosa nos afazeres. E tivemos o prazer em proporcionar este dia para ela”, conta coordenadora geral do projeto.

Vinda de uma família composta por nove filhos, Sthela e mais cinco dos seus irmãos tiveram a necessidade em pertencer a esta Casa de Acolhimento, devido às dificuldades que sua família obtivera com o tempo.

Sthela e sua família.

“Eu me senti muito, muito feliz mesmo, porque realizaram um sonho meu que se estivesse em minha casa eu não teria festa de 15 anos. Por isso que foi um dia muito especial compartilhar mais um ano de vida ao lado deles. São as melhores pessoas que Deus me deu”, finaliza Sthela.

Saiba mais sobre o projeto de Acolhimento Infantil.

 

Chrissye Bettoni

Postagens Recentes